A difícil arte de conquistar e entender um escritor (a)


Marisa Fonseca Diniz


Junho é considerado um mês mágico aos apaixonados, pois muitas pessoas acreditam que Santo Antonio (Santo católico) é capaz de  fazer qualquer milagre quando o assunto é o coração. O que poucos indivíduos sabem é que apesar dessa crendice toda há diversas pessoas que são eternamente apaixonadas, não desistem nunca dessa busca, mas tem uma criatura no mundo que é difícil de conquistar, muitas até fogem para não serem pegos pelo coração. Essa criatura se chama escritor, não importa o sexo. É isso mesmo, os escritores têm fama de serem solitários, e são mesmo, detestam ficar presos a alguém que possam desviar o seu foco ou tirar sua inspiração.

Os escritores são seres totalmente apaixonados pela leitura e escrita, e não há criatura no mundo que os faça desistir desse amor. Seres criativos, inteligentes e apaixonados pela solidão divertem-se com suas peripécias em se enfiar em confusões desnecessárias, transformam suas experiências de vida positivas ou negativas em artigos engraçados ou ácidos, depende da visão de quem escreve.

Enquanto os autores de livros são extremamente criativos e imaginativos na questão de transformar a ilusão em algo apaixonante, os escritores e colunistas são bem mais críticos em sua visão. Imagina no dia-a-dia como é insuportável viver com alguém que tem o poder de ver muito mais além do que se enxerga e ainda por cima ter opinião sobre tudo e todos?

Os escritores são seres que precisam da solidão para escutar melhor seus pensamentos, não adianta achar que aquele escritor inteligente e bonitão, um verdadeiro deus grego, vai olhar para você com olhos apaixonantes e imediatamente vai achar que você é a pessoa certa para a vida dele, não mesmo, na verdade podemos estar olhando para alguém descompromissadamente, apenas divagando nos pensamentos, normal.
Seres desprovidos de apego, assim somos nós os escritores, totalmente aleatórios ao que passa ao redor, sempre com o pensamento além do imaginável. Escritores possuem amigos sim, mas nunca temos tempo para se divertir com eles, mas não dispensamos a companhia daqueles que nos inspiram, mesmo que seja por um período curto de tempo.

A maioria dos escritores são observadores, críticos e comunicativos por meio do papel ou de uma tela de computador, não fique achando que vai conseguir convencer um escritor a ficar horas a fio conversando sobre inutilidades no telefone ou ao vivo, perda de tempo. Escritores fogem de festas, baladas ou encontros enfadonhos, a noite só serve para uma coisa, escrever, acordam repentinamente de madrugada para escrever, sim as ideias sempre aparecem de repente em horas nada convencionais.

Escritores gostam de pessoas inteligentes, que possam compartilhar ou trocar ideias, nada de gente com conversa cheia de futilidade, conteúdo é primordial. Beleza física? Não, a beleza está no cérebro, os escritores vivem em um mundo a parte, cheio de livros, revistas interessantes e dúvidas que tentam esclarecer o mais rápido possível. Os escritores não medem esforços para  compartilhar por meio de seus artigos seus conhecimentos com outras pessoas, que talvez nunca venham saber quem são.

São especiais estes seres, mas muito difícil de conquistar, pois em geral quando estão em algum compromisso, e este começa a se esgotar tendem a se transformar em investigadores prontos para tocar no ponto mais fraco do companheiro, e assim caírem fora de relacionamentos vazios que não chegarão a lugar algum, ou seja, somem do nada. A liberdade é contagiante aos escritores, nada de se sentir preso a raízes sufocantes.

A solidão não é perturbadora a nenhum escritor, aliás, eles sabem tirar vantagem desses momentos, pois acima de tudo se amam e sabem que uma mente brilhante faz toda a diferença nesses momentos. Quando não estão inspirados para escrever colocam em prática seus hobbies, não importando quais sejam, pois o foco está sempre relacionado às artes.

A solidão para muitas pessoas é uma verdadeira tortura, porém para os escritores é um momento de reflexão de se conhecer melhor, de aprendizado, não há nada melhor do que estar bem consigo mesmo e se sentir continuamente apaixonado pela sua pessoa. O conselho que eu dou as pessoas que se apaixonam pelos escritores é: não force aproximação, eles, assim como eu gostam de viver a vida da melhor maneira possível, sem imposições, a liberdade é muito boa, e todos nós somos como pássaros que gostam de viver livres em seus pensamentos.


Confesso sou uma pessoa solitária como todos os demais escritores, sou uma pessoa muito feliz e não me vejo em uma situação diferente dessa. O conselho que eu dou é admire-nos pelo que somos e escrevemos, mas jamais tente impor algo para quem está acostumado a viver livre em seus pensamentos e no mundo!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho A difícil arte de conquistar e entender um escritor (a) de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2017/06/a-dificil-arte-de-conquistar-e-entender.html.

Nenhum comentário:

Postar um comentário