Vivendo altas emoções com espectros


Marisa Fonseca Diniz



Não há nada mais emocionante do que viver fortes emoções na vida, mas e quando estas perturbações são espirituais? Curiosamente há diversas propriedades a venda no mundo por terem um item tão exclusivo que ninguém se interessa em obter.


Imagine ter uma casa majestosa com diversas acomodações, área de lazer e as pessoas depois de conhecerem o local se afastam por medo? Hoje vamos conhecer estas casas e saber se há alguém interessado em comprar alguma ou apenas visitá-las.

Casas mal-assombradas são edificações onde supostamente acontecem eventos insólitos, sem que se encontre uma causa física para isso. Muitos destes eventos podem ser ruídos, movimentação de objetos e aparições de vultos. Há diversas casas e mansões espalhadas ao redor do mundo, onde várias pessoas alegam que já presenciaram eventos fantasmagóricos.

Leechburg, Pensilvânia – USA



Esta casa foi construída em 1858 na cidade de Leechburg em Pittsburgh. A casa foi parte integrante de uma fazenda com 412.779,4m², quem comprá-la terá direito aos poços de gás que foram perfurados na propriedade, além de alguns fantasmas que percorrem os cômodos da casa.


A casa irá precisar de alguns reparos, mas nada que não possa deixar o ambiente mais agradável e moderno.


Pode ser que o fantasma do proprietário original da casa não goste dos novos moradores e da reforma, já que dizem que ele ainda anda pelo local vigiando sua amada fazenda e os belos jardins.

Histórico Castelo Campbell, Kansas – USA



O Castelo Campbell foi construído em arquitetura escocesa nos 1886 e 1888 todo pelo então proprietário Coronel Burton Harvey Campbell e sua esposa Ellen.


O imóvel possui aproximadamente 1.400 m² incluindo a casa adjacente Carriage e possui 16 quartos, 15 banheiros completos, dois lavabos e aproximadamente 8.100 m2 de jardins com vista para o Little Arkansas River.



O imóvel está repleto de antiguidades europeias históricas importadas Coronel Burton Harvey, tais como lareiras, vitrais esculpidos a mão, vitrais alemães, a escadaria de 300 anos do Grand Staircase e a janela da sala de jantar em arco importados de Londres. O sexto nível da torre principal é uma cobertura aberta que apresenta uma bela vista do Little Arkansas River e do horizonte de Wichita.


O imóvel está à venda por aproximadamente US$ 1.100 milhões e junto o comprador poderá usufruir de assombrações, provavelmente os fantasmas que viajaram da Europa junto com as partes da casa que foram recuperadas da ruína de um castelo.

Cástelo Earlshall, Fif – Escócia



O castelo foi construído por Sir William Bruce (parente de Robert Bruce, rei da Escócia) em 1546 e restaurado por Sir Robert Lorimer em 1892 com 340.000 m2 é uma propriedade histórica.


O castelo possui um prédio principal com três andares, um sótão, dez quartos, oitos salas de recepção, uma floresta, três casas, uma torre maior e uma pequena torre com uma escada que liga no prédio principal. Há também do outro lado uma torre arredondada com degraus que leva para o topo, onde há uma câmara de observação. Os frontões (conjunto arquitetônico de forma triangular que decora normalmente o topo da fachada principal de um edifício) do dormer (estrutura coberta que forma a janela do telhado) são decorados por emblemas heráldicos esculpidos com as iniciais WB e SAC.


O porão é abobadado e a entrada é pela torre com escada, no primeiro andar do prédio principal está o salão que tem paredes entrelaçadas por madeira e uma grande lareira esculpida com quase 3 metros de largura.


O teto do segundo andar é decorado em têmpera (técnica de pintura na qual os pigmentos ou os corantes podem ser misturados com um aglutinante) datada de 1620, a decoração inclui também pinturas de avestruz e tatu.



O comprador além de ter poder morar em uma relíquia centenária também poderá dividir seu tempo com os fantasmas que por lá habitam, tais como o Sir William Bruce, Andrew Bruce e seus descendentes. É possível escutar passos pesados na escadaria e ver o espectro de Andrew Bruce no quarto que foi usado por ele, além de ver o fantasma de uma criada e outra pessoa que patrulha as escadas em espiral durante o período da noite.

Monte Christo Homestead, New South Wales – Austrália



Considerado o local mais assombrado da Austrália, a casa foi construída em 1885. A família Crawley morou no local até 1948 presenciando diversas mortes no local, que marcaram a vida da família, tais como uma criança que foi derrubada pelas escadas, um garoto que supostamente morreu queimado na fazenda, uma empregada que acreditava ter caído da sacada, o filho desconhecido do zelador que foi encontrado ao lado do cadáver de sua mãe na casa do caseiro, onde foi mantido preso por quarenta anos, no qual foi enviado para um asilo e morreu pouco tempo depois.




Depois da saída da família Crawley do imóvel, um grupo de zeladores assumiu o controle do local, porém um deles foi encontrado morto na casa do antigo zelador. Vários espíritos são encontrados na propriedade, dizem os curiosos do local que são das pessoas que morreram na casa, e os mesmos estão sempre acompanhados pelo espectro da Sra. Crawley, que atormentada pela dor da perda do marido raramente saía da casa.


Na casa também é possível escutar barulhos estranhos, sentir presenças e toques, vozes e sussurros, luzes acendendo e apagando, gatos mortos e mutilados na cozinha, além de sentir uma força oculta impedindo que as pessoas subam as escadas da casa ao mesmo tempo que escutam birras de crianças no local.




Castelo Tabor, Jabotical – Brasil



O Castelo Tabor foi construído na década de 1970 inspirado nos castelos europeus da Idade Média. A construção tem 460 m2  foi erguida pelo padre Antônio Ramalho.

O castelo tem seis dormitórios relativamente pequenos, cozinha, escritório, sala de jantar e de visita possui 40 m2, sendo o espaço maior do castelo, curiosamente o castelo possui também quintal, masmorra, cadeia e capela.

Há uma estreita escada que leva par ao piso superior que é isolado por uma grade maciça. O último piso é onde ficam as muralhas, que  pode-se ver os principais acessos da cidade de Jaboticabal.



A porta principal do castelo é de madeira e a maçaneta de aço, há poucas luzes no imóvel, o que dificulta ver os quadros com imagens de santos, papas, os móveis talhados, o sino e as correntes.

Lendas da cidade contam que é possível ver coisas voando sobre o castelo, mas não até então ainda não foram avistados fantasmas no local, será? 

Apesar de o castelo estar à venda, o difícil será encontrar algum corajoso 
querer tirar a prova se há ou não fantasmas no local.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Licença Creative Commons
O trabalho Vivendo altas emoções com espectros de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2018/12/vivendo-altas-emocoes-com-espectros.html.

Transforme a leitura em um hábito prazeroso


Marisa Fonseca Diniz



Vergonhosamente, segundo o relatório do Banco Mundial publicado no início do ano de 2018, o Brasil irá demorar pelo menos 260 anos para atingir o nível de leitura dos países desenvolvidos. Resumindo o brasileiro não tem o hábito de ler, não tem desculpa, porque há diversos sites que fornecem livros gratuitamente, além de bibliotecas públicas espalhadas pelo país.

Há diversos projetos espalhados pelo território nacional, que leva os livros às  escolas e as pessoas que desejam ler um bom livro, mas não tem dinheiro para comprar, além de ter várias feiras itinerantes de livros que vendem livros a preços populares, feiras de trocas de livros e gibis grátis, portanto não lê quem não quer.



Não faz parte da cultura do brasileiro ler, infelizmente, pois a leitura abre a mente das pessoas, melhora o vocabulário, amplia os conhecimentos gerais, sendo um ótimo aliado à educação. Quem lê, escreve melhor, isso é um fato, tanto é que o hábito da leitura deve ser cultivado desde os primeiros anos de vida, a fim de que as crianças cresçam com vontade de ler e leve essa paixão pela leitura para a vida toda, além é claro de replicar aos seus ascendentes e descendentes.


O brasileiro em geral lê apenas 4,96 livros por ano, enquanto a média nos países desenvolvidos é de 7 livros por ano. Nós escritores com certeza somos uma exceção à regra, por exemplo, eu leio em média 2 livros por mês, ou seja, 24 livros ao ano.

Eu tenho o costume de ir todo mês às feiras itinerantes para comprar livros por preços populares, sempre há bons títulos e gêneros, quando não, busco livros nas bibliotecas públicas e feiras de trocas de livros. É sempre interessante permitir que outras pessoas leiam aqueles livros que um dia eu também já li.

O hábito de leitura vem de família e desde muito pequena minha mãe incentivava a leitura, além do quê, tanto na minha casa quanto na casa dos meus familiares é fácil encontrar uma estante recheada de livros de todos os gêneros. Não há riqueza maior para um cidadão do que a leitura.

Deixo aqui alguns títulos interessantes àqueles que têm interesse pela leitura e que podem ser adquiridos de graça em qualquer lugar do mundo, seja pela internett, bibliotecas, em feiras itinerantes e de troca de livros. Só é possível mudar um país através da educação, e que cada um possa fazer a sua parte começando a ler pelo menos um livro por mês.

Nazismo Como ele pôde acontecer - Eduardo Szklarz (Super Interessante – Editora Abril)



É um livro muito interessante para quem gosta de história e quer saber um pouco mais sobre o nazismo. O autor mergulha no submundo dos campos de concentração e relata a saga dos guerrilheiros judeus que combateram os alemães na Europa. O livro também revela as rotas de fuga usadas por criminosos de guerra, e mostra que a ideologia nazista continua viva no mundo até hoje.

Ciência Proibida – Salvador Nogueira (Super Interessante – Editora Abril)



No primeiro momento o leitor pode achar que o livro não seja tão interessante, porém vale a pena ler e conhecer melhor o lado mais sinistro da ciência e suas experiências.

Extraterrestres, onde eles estão e como a ciência tenta encontrá-los. Salvador Nogueira (Super Interessante – Editora Abril)



Prepare-se para a maior aventura da história tudo parece indicar que não estamos sós. E o mais empolgante, após quatro séculos de busca, a ciência está prestes a descobrir nossos vizinhos. Seriam os extraterrestres criaturas inteligentes ou meras bactérias? Leia o livro e descubra.

Ciência Maluca – Carol Castro (Super Interessante – Editora Abril)



Nada escapa ao olhar curioso da ciência: dos segredos para um casamento feliz, passando pelas emoções dos cachorros até os benefícios da cerveja. Este livro coleciona as pesquisas mais importantes para você compreender a sua vida, e as mais inusitadas para você entender todo o resto. É um livro que prende a atenção do leitor sobre as esquisitices da ciência. Vale a pena a leitura.

Psicopatas do Cotidiano como reconhecer, como conviver, como se proteger– Katia Mecler (Editora Leya)



De perto, ninguém é normal. Pare um segundo para observar as pessoas com as quais convive no seu dia a dia e você com certeza vai identificar o chefe obsessivo, a namorada sempre desconfiada, o amigo que sabe falar apenas de si mesmo. Eles estão a sua volta, e não percebem o sofrimento que causam a si próprios e a quem tem que lidar com eles – são os psicopatas do cotidiano. O livro é ótimo e identifica dez tipos de transtorno de personalidade e seus traços patológicos.

D. Pedro A história não contada – Paulo Rezzutti (Editora Leya)



Muito se fala do grito às margens do Ipiranga, da sexualidade exacerbada e do jeito impaciente que lhe rendeu a pecha de monarca difícil e de pouco tato político. Mas quase duzentos anos depois de sua morte, pouco ainda se sabe do homem de personalidade complexa que se dispunha a morrer por sua causa: do pai que queria para os filhos a educação que reconhecia falhar em si próprio; do governante que foi protagonista na transição do absolutismo ao liberalismo e ao regime constitucional no Brasil. O livro foi escrito para preencher as diversas lacunas sobre o nosso primeiro imperador. O livro é muito bom.

Boa Leitura!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho Transforme a leitura em um hábito prazeroso de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2018/11/transforme-leitura-em-um-habito.html.

Moral da história: coletânea de fábulas


Marisa Fonseca Diniz



As fábulas são composições literárias nas quais os personagens são animais que representam características humanas, as histórias são feitas em geral para crianças, mas que servem aos adultos também, e possuem no final do texto um moral da história de caráter instrutivo.

Os mais conhecidos autores de fábulas são Esopo, Jean de La Fontain, Hans Cristian Andersen e o brasileiro Monteiro Lobato. Esopo viveu no século VI a.C foi um fabulista grego, que teria vivido na época da idade antiga. Foi considerado o criador do gênero fábula, apesar de não haver registros de documentos históricos que comprovem a sua existência.

Algumas das famosas fábulas de Esopo sobre:

Gratidão – A formiga e a pomba



Uma Formiga foi à margem do rio para beber água, no entanto, de forma inesperada, acabou sendo arrastada por uma forte correnteza, estando prestes a se afogar.

Uma Pomba, que estava numa árvore sobre a água observando  tudo, arranca uma folha e a deixa cair na correnteza perto da formiga.

Então, subindo na folha a Formiga pode flutuar em segurança até a margem mais próxima.

Eis que pouco tempo depois, um caçador de pássaros, escondido sob a densa folhagem da árvore, se prepara para capturar a Pomba.

E ele, cuidadosamente prepara sua armadilha, colocando visgo no galho onde ela repousa, sem que a mesma perceba o iminente perigo.

A Formiga, percebendo sua má intenção, imediatamente dá-lhe uma forte ferroada no pé. Tomado pelo susto e gritando de dor, ele assim deixa cair sua armadilha de visgo, e isso dá chance para que a Pomba desperte e voe para longe, se pondo finalmente a salvo.

Moral da História:
Não existe ato de boa vontade ou gentileza que seja coisa em vão.
Gratidão não se mede pelo tamanho do ato, e sim pelo valor de sua utilidade.

Ilusão - A mula vaidosa



Uma mula, sempre folgada, pelo fato de não trabalhar e ainda assim receber uma generosa porção de milho como ração, sentia-se uma privilegiada dentro do curral.

Por isso mesmo era pura vaidade, e comportava-se como se fosse a mais importante dentre os animais do grupo.

E confiante, falava consigo mesma cheia de orgulho: "Meu pai, certamente, deve ter sido um grande e Belo Raça Pura. Sinto-me orgulhosa por ter herdado toda sua graciosidade, resistência, força presencial e superioridade..."

Então, pouco tempo depois, ao ser levada à uma longa jornada, como simples animal de carga, cansada de tanto caminhar com pesados cestos às costas, exclama desconsolada: "Talvez tenha cometido um erro de avaliação. Meu pai, afinal de contas, pode Ter sido apenas um simples Burro de carga..."

Moral da História :
Quando a ilusão adormece nossa razão, a realidade frustra o coração.A ilusão é o único abrigo capaz de acolher todos os nossos caprichos.

Sabedoria – As árvores e o machado


Um homem foi à floresta e pediu às árvores para que estas lhe doassem um cabo para o seu machado novo.


O conselho das árvores, uma assembleia composta pelos Anciãos considerados mais sábios, de comum acordo, aceita o seu pedido, e assim lhe oferecem o tronco de uma jovem Árvore para que sua deliberação fosse cumprida.

E Tão logo o homem coloca o novo cabo no seu machado, começa furiosamente a usá-lo. E em pouco tempo já havia derrubado com seus potentes golpes as maiores, antigas e mais nobres árvores daquele bosque.

Um velho Carvalho, observando a destruição à sua volta, comenta desolado com um Cedro seu vizinho:

"O primeiro passo, este sim significou a perdição de todas nós. Se tivéssemos respeitado os direitos daquela jovem árvore, também teríamos preservado os nossos, e poderíamos ficar de pé ainda por muitos anos..."

Moral da História:
O verdadeiro sábio não menospreza, nem demonstra indiferença ou preconceito, e jamais cultiva o sentimento de superioridade em relação a nenhum ser vivo.
O Maior problema do falso sábio é a dificuldade em reconhecer sua própria ignorância.

Outras fábulas de Esopo, basta acessar o link A raposa e a cegonha  e A raposa e o corvo.

Jean de La Fontain foi um poeta e fabulista francês nascido em Château-Thierry em 8 de julho de 1621 e faleceu em Pari dia 13 de abril de 1695. Algumas de suas fábulas famosas foram as seguintes:

Ambição – A tartaruga voadora


Um certo dia, uma tartaruga encontrou-se com dois patos emigrantes. Ficou horas admirada ouvindo-lhes contar suas grandes viagens pelo mundo a fora.
Vocês é que são felizes, dizia a tartaruga, suspirando resignadamente. Eu também gostaria de viajar, mas ando muito devagar:

-  Por que não nos acompanha? Vamos correr o mundo a três – disse um dos patos.

- Como poderei ir, se não sei nem ao menos andar depressa pelo chão, quanto mais voar por essas alturas e distâncias?                                          - 

Podemos ajudá-la, fazendo como os aviadores. Nós seremos os pilotos e você irá como passageira.

- Mas, meus amigos, onde está o avião?                                            - Não se preocupe. Nós arranjaremos tudo, já!

Pegaram um pau roliço e comprido, e mandaram que a tartaruga se dependurasse nele, com a boca, fortemente. Em seguida cada um  pegou uma das pontas do bastão. E lá se foram pelos ares, batendo as asas compassadamente e levando a feliz tartaruga.

- Segure-se bem, "agarre-se" com força, comadre tartaruga!, gritou um dos patos. A viagem é comprida!

Lá da terra, os animais e as pessoas, admiradas, erguiam a cabeça, fixavam 
bem os olhos; estavam espantados por ver uma tartaruga voando. 

- Olhem, olhem, gritam alguns deles, apontando para o céu. Nunca tinha visto uma tartaruga voar! Aquela deve ser a rainha das tartarugas!

E todos riram gostosamente.

A tartaruga voadora, sentia-se orgulhosa por ser admirada.

- Sou mesmo a rainha, ia respondendo a ingênua tartaruga, mas não chegou a pronunciar nem a primeira silaba, porque, ao abrir a boca, soltou-se do bastão e caiu como um raio, espatifando-se no chão.

Os patos continuaram seu voo, porque é o que mais sabem fazer. E ficaram comentando:

- Da próxima vez que trouxermos alguém que não sabe voar, é melhor providenciarmos um paraquedas.

Moral da história:
Quando tentamos fazer algo para o qual não estamos preparados, podemos nos dar muito mal. Como se diz: " cada macaco no seu galho".

Razão – O lobo e o cordeiro


Um cordeiro estava bebendo água num riacho. O terreno era inclinado e por isso havia uma correnteza forte. Quando ele levantou a cabeça, avistou um lobo, também bebendo da água.

- Como é que você tem a coragem de sujar a água que eu bebo - disse o lobo, que estava alguns dias sem comer e procurava algum animal apetitoso para matar a fome.

- Senhor - respondeu o cordeiro - não precisa ficar com raiva porque eu não estou sujando nada. Bebo aqui, uns vinte passos mais abaixo, é impossível acontecer o que o senhor está falando.

- Você agita a água - continuou o lobo ameaçador - e sei que você andou falando mal de mim no ano passado.

- Não pode - respondeu o cordeiro - no ano passado eu ainda não tinha nascido.O lobo pensou um pouco e disse:

- Se não foi você foi seu irmão, o que dá no mesmo.

- Eu não tenho irmão - disse o cordeiro - sou filho único.

- Alguém que você conhece, algum outro cordeiro, um pastor ou um dos cães que cuidam do rebanho, e é preciso que eu me vingue. Então ali, dentro do riacho, no fundo da floresta, o lobo saltou sobre o cordeiro, agarrou-o com os dentes e o levou para comer num lugar mais sossegado.

Moral da história:
A razão do mais forte é sempre a melhor.

Outras fábula de Jean de La Fontain pode ser encontrada no link abaixo:


Hans Christian Andersen nasceu na cidade de Odense, Escandinávia em 02 de abril de 1805 e faleceu em Copenhagen em 04 de agosto de 1875 foi um escritor e poeta dinamarquês de histórias infantis.

Amor, aparências e verdade - A princesa e a ervilha


Havia uma vez um príncipe que queria se casar com uma princesa, mas não se contentava com uma princesa que não fosse de verdade. De modo que se dedicou a procurá-la no mundo inteiro, ainda que inutilmente, pois todas que via apresentavam algum defeito. Princesas havia muitas, porém não podia ter certeza, já que sempre havia nelas algo que não estava bem. Assim, regressou ao seu reino cheio de sentimento, pois desejava muito uma princesa verdadeira!

Certa noite, caiu uma tempestade horrível. Trovejava e chovia a cântaros. De repente, bateram à porta do castelo, e o rei foi pessoalmente abrir.

No umbral havia uma princesa. Mas, Santo Céu, como havia ficado com o tempo e a chuva! A água escorria por seu cabelo e roupas, seu sapato estava desmanchando. Apesar disso, ela insistia que era uma princesa real e verdadeira.

"Bom, isso vamos saber logo", pensou a rainha velha.

E, sem dizer uma palavra, foi ao quarto, tirou toda a roupa de cama e colocou uma ervilha no estrado, em seguida colocou vinte colchões sobre a ervilha, e sobre eles vinte almofadas feitas com as plumas mais suaves que se pode imaginar.

Ali teria que dormir toda a noite a princesa.

Na manhã seguinte, perguntaram-lhe como tinha dormido.

-Oh, terrivelmente mal! - disse a princesa. Não consegui fechar os olhos toda a noite. Vá se saber o que havia nessa cama! Encostei-me em algo tão duro que amanheci cheia de dores. Foi horrível!

Ouvindo isso, todos compreenderam que se tratava de uma verdadeira princesa, já que havia sentido a ervilha através dos vinte colchões e vinte almofadões. Só uma princesa podia ter uma pele tão delicada.

E assim o príncipe casou com ela, seguro que sua era uma princesa completa. A ervilha foi enviada a um museu onde pode ser vista, a não ser que alguém a tenha roubado.

Moral da história:
Jamais duvide da palavra de uma pessoa verdadeira.

José Bento Renato Monteiro Lobato nasceu em Taubaté em 18 de abril de 1882 e faleceu na cidade de São Paulo em 4 de julho de 1948 foi escritor, ativista, diretor e produtor brasileiro.

Paciência – O leão e o ratinho


Ao sair do buraco viu-se um ratinho entre as patas de um leão.  Estacou, de pelos em pé, paralisado pelo terror. O leão, porém, não lhe fez mal nenhum.
— Segue em paz, ratinho; não tenhas medo do teu rei.

Dias depois o leão caiu numa rede. Urrou desesperadamente, debateu-se, mas quanto mais se agitava mais preso no laço ficava.

Atraído pelos urros, apareceu o ratinho.

— Amor com amor se paga – disse ele lá consigo e pôs-se a roer as cordas. 
Num instante conseguiu romper uma das malhas.  E como a rede era das tais que rompida a primeira malha as outras se afrouxam, pode então o leão se soltar e fugir.

Moral da história:
Mais vale paciência pequenina do que arrancos de leão.

Outras histórias pode ser vistas nos links abaixo:


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Licença Creative Commons
O trabalho Moral da história: coletânea de fábulas de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2018/11/moral-da-historia-coletanea-de-fabulas.html.