A beleza dos fiordes


Marisa Fonseca Diniz

A cerca de um milhão de anos atrás, a grande glaciação ocorrida em mais de 20 milhões de quilômetros da Ásia, Europa e América do Norte cobriu as terras com enormes lençóis de gelo. Planaltos e coberturas elevadas cobertas de gelo aos poucos foram derretendo, e a água correu pelos vales em direção ao mar.

O leito e os lados dos vales foram erodidos gradualmente pelo movimento do gelo, carregando consigo detritos de rochas. Com  o desparecimento do gelo foram formados vales glaciais. Os vales glaciais tem forma de U, onde o leito é escavado na rocha e os lados são elevados e íngremes.

A Noruega, a Rússia, o Canadá, os EUA, e a Groelândia possuem montanhas que se estendem até a costa, onde os vales glaciais ficam submergidos formando grandes braços de mar conhecidos como fiordes.  A submersão dos fiordes só foi possível porque o gelo escavou os vales bem abaixo do nível do mar.

O aprofundamento avançado foi formado devido o gelo que não conseguia flutuar até que estivesse totalmente submerso. Formou-se assim uma profunda depressão ao ser invadida pelas águas, dando origem ao braço de mar que avança para o interior da costa.

As dimensões dos fiordes chegam a ultrapassar 350 quilômetros de comprimento, e possuem paredões com mais de 1.000 metros de altura, além de possuir mais de 1.500 metros de profundidade. Os maiores fiordes encontram-se nas costas nortes do oceano Pacífico, na América do Norte, especificamente no Alasca, Canadá, na costa do Chile e Noruega.


Fiordes Haines, Alasca





Fiordes Tracy Arm, Canadá 






Fiordes da costa do Chile


Sognefjord, Noruega


Para os aventureiros a Noruega disponibiliza diversos passeios turísticos encantadores pelos fiordes.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário