Largando tudo por um sonho


Marisa Fonseca Diniz



Você largaria tudo por um sonho? Não, não é um sonho de padaria, aquele confeito delicioso açucarado, e sim por um projeto. Apesar de muitas pessoas acharem uma bobagem sem tamanho abandonar uma carreira sólida por um sonho, outras tantas não hesitam em tomar esta atitude mesmo quando elas não possuem o apoio de ninguém para dar este passo tão importante na vida.

Chega um momento na vida do profissional, que a vida começa ficar sem graça, isso mesmo que você leu, e a rotina de fazer sempre a mesma coisa da mesma maneira começa a não fazer mais sentido, ter um salário altíssimo caindo na conta todo final do mês sem tempo para gastá-lo de maneira saudável tem feito com que muitos executivos de carreira larguem tudo e sigam caminhos totalmente diferentes do que estavam acostumados a seguir.

E por que um executivo que ganha tão bem faria uma loucura dessas? Porque nem sempre a satisfação está no salário ou no cargo, fato que poucas pessoas conseguem entender. A satisfação está muitas vezes em fazer o que se gosta sem se cobrar por resultados positivos à empresa no qual se trabalha, que causa estresse e muitas vezes depressão.

Enquanto muitas pessoas almejam cargos altos, salários extraordinários, benefícios maravilhosos pensando nas diversas viagens que farão ao redor do mundo e assim poderão ser profissionais reconhecidos, muitos buscam apenas sossego e tranqüilidade.

O sucesso não está associado ao glamour, e sim a satisfação em fazer aquilo que dá prazer sem ser constantemente cobrado para ser sempre o melhor. Tudo na vida tem seu tempo determinado para começar e terminar, quando há constantes cobranças que sufocam o profissional gerando dor de cabeça, dor de estomago, pressão psicológica pode ter certeza que a pessoa não está exercendo aquela função por amor, e sim por obrigação.

Esta obrigação pode ser uma consequência da imposição que a sociedade faz ao ser humano de que ele só pode ser feliz se for bem sucedido profissionalmente e financeiramente. Quando na verdade é um grande erro, as pessoas devem na verdade fazer aquilo que amam, pois tudo que é imposto com o tempo se torna indigesto.

Todas as pessoas são capazes de sonhar, mas algumas desistem dos sonhos antes mesmo de tentar realizá-los. Os motivos são os mais variados possíveis como falta de apoio familiar, descrédito em conseguir ir adiante ou simplesmente medo de fracassar. Uma boa parcela das pessoas possui a falsa concepção de que só é interessante colocar os sonhos em prática quando o imediatismo do sucesso puder dar poder de compra, a fim de mostrar a sociedade que possuem condições de comprar o melhor carro, o melhor imóvel e fazer as viagens que sempre almejaram.

Coloque de lado todo aquele conceito de que para se viver bem e realizado é necessário ter muito dinheiro na conta bancária, apague da mente essa velha cultura do capitalismo. Para se viver bem é necessário fazer o que gosta, mesmo que para isso precise abrir mão de algumas regalias ou velhos conceitos que de nada valem nos dias atuais.

Há apenas um passo que separa os sonhos da realização, e isso vai depender exclusivamente da vontade de querer escrever uma nova história, não importa qual é, e sim se ela proporcionará prazer na realização. Escreva uma nova história de vida sem medo de cair ou fracassar, pois quando se faz o que realmente gosta até os tropeços são saudáveis.

E você já pensou em tirar da gaveta seus sonhos e realizá-los?

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.






Reconhecer o erro é o primeiro passo para a sabedoria


Marisa Fonseca Diniz



Quem já não passou por uma situação de estresse e acabou falando o que não devia a alguém? Não tem como negar que muitas vezes erramos com as pessoas que admiramos, sejam elas nossos colegas de trabalho, nossos amigos, familiares ou até mesmo um conhecido. A correria do dia-a-dia nos torna muitas vezes indiferentes as situações que nos cercam fazendo com que não enxerguemos nas entrelinhas do tempo que pequenas gentilezas fazem toda a diferença na vida das pessoas.

Não temos o poder de adivinhar os problemas pelos quais as pessoas passam diariamente, mas podemos sim, ter atitudes positivas que torne tudo muito mais leve. Eu confesso que já errei muito com as pessoas, por achar que os meus problemas fossem maiores do que tudo, e no final quem perdeu fui eu. Se no momento eu estivesse mais descansada e menos estressada não teria sido rude com as pessoas que gosto.

Infelizmente, algumas vezes também já fui mal interpretada, não apenas por palavras ditas e sim por palavras escritas. A arte de escrever muitas vezes confunde as pessoas, que não conseguem discernir fatos corriqueiros de imaginações. Os escritores em geral lêem muito, além de serem ótimos observadores. A inspiração para escrever pode vir de várias maneiras seja de fatos da vida, experiências ou apenas uma simples frase jogada ao ar.

Não têm como negar a maioria dos escritores é movido pela emoção, mesmo os que escrevem artigos técnicos ou de opinião, e é justamente esta característica que faz com que cada um seja diferente do outro. Porém, não somos deuses, não estamos acima de ninguém, somos feitos de carne e osso e também temos problemas, seja financeiro, saúde, cansaço físico ou mental.
Alguns superam com medicação, outros precisam se isolar de tudo e todos, e outros precisam se desligar de tudo para se sentirem mais tranqüilos. A inspiração é a matéria-prima do escritor e sem ela é impossível escrever. 

Quando a inspiração não aparece passamos horas, dias e até mesmo meses procurando maneiras de encontrá-la, e essa incessante busca pode gerar estresse mental fazendo com que as palavras pulem para fora da boca e saiam fazendo grandes estragos mundo a fora.

Há várias maneiras de descobrir como está o humor de uma pessoa que usa as palavras como meio de expressão, basta ler seus artigos ou poemas, e verá que há momentos em que o escritor expressa suas angustias, euforias, tristezas e felicidade, mesmo aqueles que escrevem apenas opinião. 

Pequenos detalhes fazem toda a diferença, a maior vingança de um escritor é escrever tudo aquilo que está engasgado na garganta, mas não de maneira direta, não isso seria antiético, e sim de maneira sutil.

O emocional breca a vontade de sair escrevendo além do conveniente, talvez seja por isso que quando abrimos nossa boca e falamos tudo o que sufoca, acabamos sendo mal interpretado pelas pessoas, o erro é achar que somos imunes aos problemas que nos circundam. Por isso, que quando erramos com alguém da mesma maneira que fazem conosco, deixamos o tempo passar depois do episódio, e ficamos dias, meses e até anos pensando em nossas atitudes.

Pensar, repensar, mas não deixar que isso nos corroa por dentro, sumir por um tempo para digerir melhor os erros e tirar deles aprendizados que levamos para o resto da vida. Depois de muita meditação sabemos qual a melhor atitude a ser tomada, pois nem todas as pessoas que cruzam o nosso caminho merecem nossa atenção. Algumas pessoas cruzam o nosso caminho e deixam um rastro de destruição, e essas realmente não queremos mais por perto. Mas, há aquelas que são especiais, que deixamos ir embora mesmo sabendo que as palavras duras fizeram marcas irreparáveis.

O melhor a fazer nestas situações é pedir “perdão” pelos erros passados, mesmo que nunca mais voltaremos a falar com a pessoa. Quando assumimos nossos erros, evoluímos como pessoa, e é através desta atitude que amadurecemos como seres humanos. Ser humilde e reconhecer que falhamos com aqueles que amamos esse é o primeiro passo para a sabedoria.

O que você tem feito para evoluir como ser humano? Tem guardado suas mágoas e ignorado tudo aquilo que o faz mal?  Gentileza gera gentileza, muitas vezes perdoar é a melhor maneira de demonstrar que você é uma pessoa diferente, e isso não tem nada a ver com diferenças religiosas, raça, nacionalidade, opções ou diferenças de pensamento, mas tem a ver com sabedoria.

Saiba dar perdão a quem assume os erros que comete e saiba que a vida agradece e retorna tudo aquilo que você mais almeja, mesmo quando você não quer nem mais contato com quem tanto te ofendeu ou humilhou. Libere perdão e seja feliz!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Reconhecer o erro é o primeiro passo para a sabedoria de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Curiosidades da Ásia


Marisa Fonseca Diniz

Afeganistão, Cazaquistão, Paquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão, o que estes países têm em comum?

O nome de todos os países tem o sufixo “stão” que é proveniente da língua persa ou farsi que é falada desde o século VI a.C. A raiz “stan”significa país ou lugar de, os nomes destes países são compostos pelo nome dos povos pré-iranianos que viviam nestes locais seguido do sufixo.

Afeganistão


Localizado no centro da Ásia, o Afeganistão faz fronteira com os países Turcomenistão, Uzbequistão, Tadjiquistão, China, Paquistão e Irã. O país tem localização geoestratégica importante ligando o Oriente Médio a Ásia Central e o subcontinente indiano. Décadas de guerra fizeram com que o Afeganistão se tornasse o país mais perigoso do mundo para se viver, incluindo o título de maior produtor de refugiados e requerentes de asilo. Precisa de muita coragem para viver lá. A religião predominante é o islamismo.


Cazaquistão:


O país está situado no centro-oeste da Ásia e faz fronteira ao norte com a Rússia, a leste com a China, ao sudeste com Quirguistão, ao sul com Uzbequistão e a sudoeste com o Turcomenistão, além de ser banhado pelo mar Cáspio a oeste.

O Cazaquistão está entre os dez maiores países formado por regiões desérticas, estepes e montanhas, o grande destaque desse país está sendo a abertura de economia atraindo diversos investimentos. A religião predominante é o islamismo.

Paquistão:


O Paquistão é um país que se limita com a Índia, China, Afeganistão, Irã e é banhado pelo Oceano Índico. O país é de maioria muçulmana e tem apresentado um rápido crescimento econômico, além de ser um país altamente militarizado.

Quirguistão:


Localizado na porção central do continente asiático limita-se com a China, o Cazaquistão, Uzbequistão e Tadjiquistão, sendo que a Cordilheira Tian Shan ocupa mais de 90% do território nacional. A religião predominante no país é o islamismo, apesar de lindas paisagens lembrando a Suíça, o Quirguistão apresenta elevada taxa de mortalidade infantil, e vários habitantes vivem abaixo da linha da pobreza.

Tadjiquistão:


O Tadjiquistão faz fronteira com o Afeganistão ao sul, a leste com a China, ao norte com o Quirguistão e a noroeste e oeste com o Uzbequistão. Segundo dados da ONU – Organização das Nações Unidas, o país possui IDH – Índice de Desenvolvimento Humano de 0,580. A subnutrição atinge 34% da população e mais da metade da população do país vive abaixo da linha da pobreza. Mais um país islâmico.

Turcomenistão:


O Turcomenistão está localizado no continente asiático e faz fronteiras com o Irã, Afeganistão, Uzbequistão e com o Cazaquistão, além de ser banho pelo Mar Cáspio. A religião predominante no país é o islamismo, sendo o país mais repressor, onde há vigilância constante.

O Turcomenistão é um dos países mais isolados do mundo, apesar da expansão da internet toda atividade online é monitorada, a maioria das redes sociais é bloqueada e quem desafia as regras acaba preso ou desaparece. Difícil saber quem é mais repressor a Coréia do Norte ou o Turcomenistão, um perigo para quem tem personalidade ou opinião é morte na certa, passo longe de lá.

Uzbequistão:


E para encerrar, o Uzbequistão está situado na porção central da Ásia e faz fronteira com o Cazaquistão, Turcomenistão, Afeganistão, Tadjiquistão e Quirguistão. O islamismo é a religião predominante no país, ou seja, difícil os cristãos se adaptarem em qualquer um destes países asiáticos, peixe fora d’água.

O país possui grandes reservas de petróleo e gás natural, mas em contrapartida o desemprego é um dos grandes problemas do país, o que agrava a pobreza.

Já pensou em qual desses países passará longe? Brasileiro com certeza não se adaptaria a nenhum deles, se sentir vigiado 24 horas por dia, não é para qualquer cidadão. Os que preferem altas emoções talvez queiram dar uma passadinha pelo Afeganistão e ver se lá é tão violento quanto às comunidades do Rio de Janeiro, quem sabe...


Apesar de todos os problemas nos quais temos passado, o Brasil ainda é um dos melhores lugares do mundo para se viver, não é a toa que os estrangeiros ficam maravilhados quando chegam por aqui, principalmente no que se diz respeito as paisagens, natureza e a receptividade do povo brasileiro.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



A beleza dos cactos e suas curiosidades


Marisa Fonseca Diniz

“Os espinhos da vida se transformam
em flores por toda a eternidade.”
Dom Bosco

Muitas pessoas acham que o cacto é uma planta feia e desajeitada, mas é uma excelente planta ornamental para quem não tem muito tempo livre, mas não dispensa uma planta em casa.


Os cactos ou cactaceae pertencem a família botânica dos arbustos, árvores, lianas e sabarbustos, e existem mais de 176 gêneros e 2.233 espécies. A maioria dos cactos tem ramos longos são suculentos produzem folhas fotossintéticas, os caules são curtos, as folhas são em forma de espinhos, e alguns possuem flores.


Algumas espécies de cactos apresentam floração noturna, sendo polinizadas por mariposas e morcegos. Os cactos resistem ao calor excessivo e ao clima seco como desertos, semi-áridos, caatingas e cerrados. Muitas espécies de cactos produzem frutas comestíveis como o figo da índia e a pitaya.


A pitaya ou fruta do dragão é uma fruta exótica originária da América Central, a casca é irregular formando gomos escamosos que lembram um dragão. A polpa é doce e macia, a fruta é muito utilizada na produção de doces, geléias, iogurtes, sorvetes, tortas e saladas. Além de ser uma fruta muito consumida em todo mundo no combate do colesterol é antioxidante e auxilia no processo de emagrecimento.


Os cactos podem ser usados como cercas e muros artificiais no campo. Dentro de casa podem ser cultivados em vasos e não necessitam de muita água, mini-cactos podem ser regados a cada quatro dias e os maiores a cada cinco dias.


Particularmente eu amo cactos! 


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho A beleza dos cactos e suas curiosidades de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2017/03/a-beleza-dos-cactos-e-suas-curiosidades.html.


Tour virtual pela história do antigo Oriente


Marisa Fonseca Diniz


Hoje eu convido todos os apaixonados por arqueologia, história e arte a fazer um tour virtual pelo Oriente Antigo. O Antigo Oriente Próximo ou Antigo Oriente é um termo eurocêntrico utilizado por estudiosos e especialistas em arqueologia, história antiga e Egiptologia para denominar as civilizações clássicas, que atualmente são conhecidas como Médio Oriente (Iraque, parte do Irã e da Turquia, Síria, Líbano, Israel e Egito).

A região na antiguidade era dividida da seguinte maneira:

A)  Mesopotâmia – atualmente Iraque e Irã;
B)  Levante – atualmente Israel, Jordânia, Líbano, Síria e o Território Palestino;
C)  Anatólia – atualmente a parte asiática da Turquia;
D)  Egito.

O Instituto Oriental localizado dentro da Universidade de Chicago foi fundado no ano de 1919 por James Henry Breasted e traz ao público a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a evolução da civilização. O objetivo inicialmente do instituto era de ser um laboratório de pesquisa de investigação humana, a fim de rastrear o desenvolvimento da humanidade a partir da antiguidade do Oriente Médio.


Atualmente, o Instituto Oriental tem como objetivo global ser o principal centro de estudos das antigas civilizações do Oriente Próximo combinando inovação, metodologia e os mais altos padrões de erudição.

O museu foi aberto ao público em 1931, sendo a maioria das coleções do Instituto Oriental advindos das expedições no Oriente Médio durante as décadas de 1920, 1930 3 1940. O ambiente é climatizado a fim de conservar as coleções e os arquivos existentes.

O museu é uma vitrine da história, arte e arqueologia do Oriente Próximo, e vale a pena conhecê-lo pessoalmente ou virtualmente. O instituto oferece uma turnê virtual interativa a 360º aos interessados que terão a oportunidade de visualizar as galerias que inclui uma série de imagens de objetos arquivados das coleções. Apreciem sem moderação acessando este link.


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Tour virtual pela história do antigo Oriente de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2017/03/tour-virtual-pela-historia-do-antigo.html.

O Poder da Boca Grande


Marisa Fonseca Diniz


Boca grande é a expressão atribuída àquelas pessoas que tem o hábito de contar seus sonhos, segredos, ideias, negócios, objetivos profissionais e pessoais por acreditarem inocentemente que possam compartilhar seus anseios sem serem prejudicadas por outras pessoas. Fuxiqueiro, linguarudo, mexeriqueiro, leva e traz, cagueta, língua de trapo e fofoqueiro são apenas alguns sinônimos atribuídos as pessoas que adoram espalhar notícias alheias sem terem sido contratadas para isso.


Quem já não teve a infelicidade de comentar com algum colega de trabalho ou vulgo amigo um sonho e teve a sua ideia roubada? Ou pior ter contado um segredo e de repente perceber que todas as outras pessoas do seu convívio compartilhavam a mesma notícia?

Saiba que este tipo de gente é mais comum do que se pode imaginar, não importa o gênero, seja homem ou mulher, o fofoqueiro adora gente que tem boca grande e sai falando seus sonhos.  Este ser espalha comentários desnecessários e às vezes mentirosos.

A falta de bom senso é a causa principal dos comentários negativos, pejorativos e depreciativos.  O fofoqueiro não sente remorso, pois se sente realizado quando percebe que conseguiu passar adiante algo que lhe causava inveja.

A fofoca é perigosa principalmente quando o alvo desta ação não está focado e atento aos seus valores e princípios.  Esta ação é muito mais danosa ao mexeriqueiro, pois a fofoca pode se tornar crônica e recorrente.


As pessoas que sentem vontade de falar da vida alheia, em geral nunca estão focadas em seus objetivos profissionais ou pessoais ficando distantes de si mesma e menos integradas com sua própria vida, sentindo constante necessidade de subjugar e criticar o outro.

Os fofoqueiros possuem algumas artimanhas para conseguir tirar todas as informações necessárias. Em geral são seres sorrateiros, que se se encostam a outras como se não quisessem nada.  Fazem-se de coitados, tentam ser parceiros de negócios ou amigos nos ambientes de trabalho.  Apenas para saber quais os negócios estão sendo fechados, as metas a serem atingidas, e quais decisões podem ser tomadas para o crescimento da empresa.

O fofoqueiro é muito encontrado nas áreas comerciais das empresas, sejam elas de porte grande ou pequeno, é uma verdadeira praga. Há também os curiosos que atrapalham e espalham notícias nem sempre verdadeiras.


O fofoqueiro é como uma árvore seca, sempre tentando acabar com o sossego das pessoas.  Sente prazer em atacar as pessoas no ambiente de trabalho ou no meio em que vive principalmente as pessoas determinadas.

A fofoca gera situações constrangedoras podendo provocar demissão e situações embaraçosas no trabalho, finalizar relacionamentos e amizade. O preço a ser pago por uma fofoca é alto e traz diversas consequências, a pessoa que dissipa o assunto tende a ser considerada uma pessoa medíocre, invejosa,  inconsequente e derrotada.

A lição que fica é fechar a boca grande e não contar nada para ninguém.  Guardar os segredos, e quando se deparar com um fofoqueiro pelo caminho, ignore, saia de perto, não dê motivos para que ele faça da sua vida um verdadeiro humor negro.  


“Não seja boca grande dando motivo para um fofoqueiro destruir seus sonhos. Corte o mal pela raiz, porque árvore seca nunca deu frutos.” Marisa Fonseca Diniz


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Inveja Profissional


Marisa Fonseca Diniz


Você já foi vítima de um invejoso? Não? Aqui você irá aprender o que faz uma pessoa sentir inveja da outra, as táticas usadas pelos invejosos para prejudicar um bom profissional e como se livrar deles.
A inveja é um dos 7 pecados capitais originária desde tempos antigos, escritos em textos, que foi acentuado no capitalismo e no darwinismo social, na autopreservação e autoafirmação.
    A inveja é definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou as qualidades de um outro ser. A pessoa que deseja as virtudes alheias é incapaz de alcançá-las, seja pela incompetência intelectual ou pela limitação física.  A inveja está intimamente ligada ao ciúme, no momento que produz desgosto ou tormento ao indivíduo que almeja possuir algo que pertence a outra pessoa.
    Há 4 formas de inveja:
    Comparação;
    Subvalorização;
    Frustração;
    Insegurança.
    São três os tipos de inveja:
    Inveja pura associada ao sucesso;
    Inveja enrustida associada à riqueza;
    Autoinveja associada ao atrativo sexual.

    Quais as características do invejoso? 
    Difamação;
    Crítica;
    Pessimismo;
    Injustiça;
    Autopunição;
    Egoísmo;
    Soberba;
    Arrogância.
    Difamação: agride com palavras ou gestos, além de desvalorizar o trabalho alheio;
    Crítica: estabelece juízo de valor para o trabalho alheio condenando todas as ações. É um crítico impiedoso;
    Pessimismo: é uma pessoa negativa, que desvaloriza o trabalho dos outros, não há autoconfiança e tampouco amor próprio, além de ser uma pessoa fracassada;
    Injustiçaprovoca situações que não condizem com os fatos , apenas pelo prazer de ver a pessoa invejada ser acusada de algo que não fez;
    Autopunição: possui baixa autoestima, e tende se punir por não conseguir obter o mesmo sucesso da pessoa invejada;
    Egoísmo: hábito ou atitude de colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar, em detrimento das demais pessoas com quem trabalha;
    Soberba: manifestação de orgulho, de pretensão sobre as pessoas invejadas como forma de se sentir superior.
    Não há nada pior do que ser vítima de um invejoso no trabalho ou na sociedade. O invejoso nem sempre é uma pessoa pacata que sofre calada, em geral ele extravaza e acaba causando vários estragos tanto para a vítima como para si mesmo. 
    A inveja na maioria das vezes é um sentimento que se aprende desde a infância, quando os pais comentam sobre a conquista de algum parente, vizinho e conhecidos denegrindo a imagem da pessoa e colocando defeitos nas conquistas, a fim de que não se sintam inferiorizados. Com o tempo a pessoa adquire emoções padrões que o levam a um 
    comportamento indigno por não conseguir valorizar as pessoas, enxergando apenas os defeitos e nunca as qualidades. Negligenciando qualidades como a inteligência e valores que proporcionarão uma série de problemas ao indivíduo que sente inveja, tanto a nível pessoal quanto profissional.
    A inveja profissional é o reflexo das atitudes aprendidas na fase infantil e que acaba destruindo o ambiente de trabalho no qual o invejoso exerce suas atividades. O principal alvo do invejoso é aquele profissional que consegue destaque em seu ambiente de trabalho por apresentar melhores resultados e logo consegue uma promoção ou premiação.
    Principais alvos do invejoso 

    Os principais alvos do invejoso em referência a trabalho são:
    Ambiente de trabalho;
    Redes Sociais;
    Blogs;
    Sites.
    Fotos, fatos, detalhes, artigos que denotam a capacidade e popularidade dos profissionais são o alvo perfeito dos invejosos. Na maioria das vezes os invejosos começam a atacar virtualmente as pessoas invejadas como forma de denegrir a imagem alheia. Quando não conseguem atingir o alvo passam a denegrir a pessoa no ambiente de trabalho.
    Inveja e seus problemas
    A inveja é uma doença psicológica que causa:
    Infelicidade;
    Rancor;
    Impotência;
    Raiva;
    Insatisfação;
    Imaturidade;
    Repressão;
    Baixa Auto-estima.
    Como se livrar dos invejosos
    Não se sinta culpado pelas suas conquistas;
    Não divulgue seus projetos antes de realizá-los;
    Não fale de suas conquistas;
    Neutralize a pessoa invejosa, elogiando-a em seus pontos fortes;
    Ignore as provocações;
    Não esqueça invejoso odeia o silêncio seja virtualmente ou pessoalmente, mas é a única solução cabível para que eles esqueçam de suas vítimas.

    Já dizia Napoleão “Inveja é sinal de fraqueza.”

    Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.