Socorro, abriram o portão do hospício


Marisa Fonseca Diniz


Quanto mais o tempo passa, mais percebo o quanto as pessoas regridem. Nós escritores somos seres de fato muito sortudos, porque temos a facilidade em perceber quanto certas pessoas são ineptas.

Acredito que com o passar dos anos, alguns indivíduos invés de amadurecerem, na verdade ficam mais idiotas, o excesso de álcool e drogas no corpo tem feito com que o cérebro apodreça dentro da caixa encefálica.

Indivíduos desprovidos de sanidade mental sobrecarregam a sociedade com suas atitudes insanas e fazem com que pessoas sãs corram delas e desapareçam a fim de evitar um dia encontrá-las soltas por aí. Errar todas as pessoas erram isso é um fato, porém ser atormentado ou perseguido por alguém no qual se fez questão de largar no passado por não ter atitudes coerentes é simplesmente surpreendente.

Quando sumimos ou bloqueamos contatos com pessoas que julgamos ter algum desvio de conduta ou são psiquiatricamente perturbadas, apenas queremos mostrar que não possuímos nenhum tipo de interesse em estarmos próximos a elas. Pessoas perturbadas são parasitas tóxicas que sugam nossa paz espiritual, por isso queremos sempre elas longe da nossa vida e caminho.

É perturbador saber que muitos destes parasitas tóxicos quando não estão sob o efeito do álcool ou das drogas demostram ser pessoas normais, que sabem conversar de maneira clara e concisa, porém depois de algumas horas ou dias sob o efeito de substâncias psicotrópicas suas atitudes são totalmente insanas, ou seja, nada parece fazer sentido.

Indivíduos que fazem uso de drogas e álcool continuamente são  pessoas que buscam uma fuga para seus problemas internos ou quando não, querem se sentir aceitos por um determinado grupo de pessoas. Essas pessoas em específico precisam de ajuda de um especialista, porém raramente buscam este auxílio por acreditarem que não possuem nenhum tipo de problema ou desvio psiquiátrico.

A fuga as drogas e a bebida é o reflexo de uma infância e adolescência repleta de problemas na família que com o tempo pioram fazendo com que estes indivíduos percam o sentido do que é certo ou errado.

Experiência própria de que certos tipos de pessoas nunca devem ter outra chance de aproximação, pois por mais que queiramos ajudá-las por nos sentirmos sensibilizadas com seus problemas, no final, os maiores penalizados seremos nós mesmos. Elas nunca mudam e tendem a piorar com o tempo, não importa a idade, podem ter 30, 40, 50 ou 60 anos a tendência é o cérebro e as atitudes se deteriorarem cada vez mais passando à loucura completa, ao suicídio ou a overdose.

Se você deixou alguma pessoa no passado por não acreditar na sua recuperação ou por acreditar que fosse um perfeito sugador de energias, sua atitude foi corretíssima, agora se do nada a pessoa veio atrás de você com histórias sem o menor sentido ou se mostrou em depressão, o meu conselho é um só desapareça, se faça de morto, porque esse tipo de pessoa não muda, ou seja,  piora.

Caso tenha interesses em saber um pouco mais sobre o assunto acesse esse link, e poderá ler alguns artigos comportamentais sobre indivíduos que fazem uso constante de substâncias alucinógenas, além de entender melhor os efeitos no organismo e no cérebro.

A felicidade nunca esteve relacionada ao uso contínuo de substâncias psicotrópicas, que criam a ilusão de que todos os problemas sejam passageiros, e logo se dissipam quando estão eufóricos. Quem pensa assim tende a afastar as pessoas certas da sua vida.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Socorro, abriram o portão do hospício de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2017/02/socorro-abriram-o-portao-do-hospicio.html.

Nenhum comentário:

Postar um comentário