Cada um no seu quadrado, não invada a vida alheia


Marisa Fonseca Diniz


Cada um no seu quadrado é o que deveria ser, mas temos tantos entendidos no mundo que fica até difícil saber em que quadrado eles fazem parte. Se em algum momento da vida estiver precisando de um ombro amigo para desabafar, por favor, não esqueça antes de analisar quem vai escolher para esta árdua tarefa, pois até um simples desafogo já pode ser motivo suficiente para o escolhido se sentir no direito de dar pitacos na sua vida, não importando se possui ou não liberdade para isso.

Atualmente, as pessoas com o advento da internet pouco se importam em respeitar e não estão nem aí se invadem a privacidade alheia, pois acreditam que a vida dos outros lhes pertence e tem todo direito de fazer comentários maliciosos, maldosos ou expressar suas opiniões segundo o que acham que veem do que é ou não exposto através das redes sociais.

Recentemente presenciei um fato um tanto inusitado, pelo menos para mim, uma pessoa que se considerava amiga ao ver uma foto em uma rede social foi tirando conclusões precipitadas e não poupou seu veneno. Autointitulada profetisa de Cristo se sentiu no direito de falar suas homéricas profetadas, isso mesmo, pior sem nem saber o que se passava ou quem era a pessoa em questão, típico de pessoas desocupadas e preocupadas com a aparência dos outros, e não com o coração.

Quando presencio situações como essas, sinceramente não sei se tenho dó dessas pessoas que fazem papel de falsos profetas e moralistas ou os mando catar coquinho no inferno, pois se consideram acima de qualquer julgamento divino profetizando mentiras sem dó e nem piedade, apenas com o prazer de prejudicar a vida alheia.

A fraqueza espiritual e o fanatismo fazem com que certas pessoas levantem a bandeira da maldade, e saiam mundo afora dando profetadas, invés de levar uma palavra de consolo. Depois, se sentem injustiçadas quando a vida lhes parece dura demais, quando não, chegam ao absurdo de dizer que estão passando por provas divinas, balela de quem se encontra fora da fé.

Invadir a privacidade alheia vai mais além, pois a falta de bom senso faz com que as pessoas não percebam que ninguém é melhor que ninguém, e muito menos tem o direito de fazer críticas ou dar conselhos sem ter sido solicitado. 

Estressa ser vítima de pessoas que no fundo são vazias e infelizes, e buscam atacar quem vive em paz e feliz.

Se cada um cuidasse da própria vida sem invadir a individualidade alheia com certeza teríamos menos contendas e guerras na face da Terra.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Cada um no seu quadrado, não invada a vida alheia de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível emhttp://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2016/08/cada-um-no-seu-quadrado-nao-invada-vida.html.


Nenhum comentário:

Postar um comentário