A vida é um eterno recomeço


Marisa Fonseca Diniz



Pare, reflita e pense em tudo que já viveu e ainda tem a viver, muita coisa boa ou ruim já aconteceu? Quais as lições que aprendeu com os tombos, choros, lamentos e vitórias? Pode parecer estranho o questionamento, mas é justamente isso que todos deveriam fazer antes de reclamar da falta de oportunidades ou reconhecimento, pois em tudo há um aprendizado.

O desânimo deve ser deixado de lado perante as adversidades da vida, pois a cada dia que passa os tombos viram aprendizados e as vitórias impulso para alçar novos voos. A vida deve ser vista como uma grande estrada com diversas paradas e obstáculos que servem como alerta para serem desviados.

Na vida nem tudo são flores, há também espinhos, mas não podemos esquecer a variedade de oportunidades que aparecem e nem sempre conseguimos enxergar, pois estamos preocupados demais com a possibilidade de apenas encontrarmos projetos grandes ignorando por completo os pequenos que podem nos projetar para lugares nunca antes alcançados.

Quando abandonamos o passado e vivemos o presente sem nos preocupar com o futuro conseguimos lançar sementes em terreno fértil, e a vida se encarrega de nos trazer com o tempo frutos sólidos e compensadores. 

Otimismo e pensamento positivo faz toda a diferença no dia-a-dia, não importa qual área da vida precisamos ser mais fortes. O importante é recomeçarmos diariamente nossos propósitos e seguir adiante enxergando além do que vemos sair do comodismo e das visões estreitas fazem toda a diferença na vida.

Abra a mente, renove os velhos conceitos e siga em frente, se for necessário recomeçar, recomece, e não pense nos erros como fracassos e sim como lições de vida!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho A vida é um eterno recomeço de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Nenhum comentário:

Postar um comentário