Paquerar na rede profissional? Não pode!


E o artigo de reflexão do café da tarde de hoje é sobre o que não se deve jamais fazer em uma rede profissional...

Marisa Fonseca Diniz



Quando você acha que já viu de tudo na vida, de repente do nada aparece um indivíduo do outro lado do Oceano Atlântico para te atormentar em uma rede profissional. Sabe aquele sujeito  completamente sem noção do que é, e de como funciona uma rede  profissional? Pois é, pasmem, mas existe tanta gente sem noção espalhada pelo mundo, que se contabilizarmos todos eles não haverá espaço suficiente para a quantidade de números necessários na calculadora.

Os paqueradores sem noção das redes profissionais são em geral pessoas mal resolvidas sexualmente, afetivamente, psicologicamente e espiritualmente, achou demais? Se for descrever tudo não teremos espaço suficiente. A grande maioria tem idade por volta dos 40 anos de idade para cima ou para baixo não importa, porque o comportamento é sempre o mesmo.

Muitos têm até uma formação acadêmica invejável, participam de atividades acadêmicas, profissionais e esportivas dos novos ricos, trabalham em boas empresas, mas é só isso, porque estão sempre insatisfeitos com o trabalho ou emprego que possuem. Em geral, são homens sentimentais, tímidos ou polêmicos, sim porque o que eles mais geram é confusão.

O histórico de vida é sempre problemas relacionados com ex-esposas, namoradas, noivas, amigos, empregos, e coincidentemente qualquer pessoa que tenha um pouco mais de faro irá perceber que eles estão cadastrados em vários sites de relacionamentos há anos e se comportam da mesma maneira nas redes sociais, ou seja, eles vivem a caça de rostinhos bonitos, a presa fácil.

A lábia é sempre a mesma, nada muda, nem mesmo a cara de pau, pois acredito que devem consumir potes e mais potes de produtos que lustram a cara de pau, porque é realmente inconcebível um indivíduo ficar atormentando profissionais sérios nas redes profissionais.

O esquema é sempre o mesmo, lança-se a rede e fica a espreita para ver onde vai dar, até o dia que pegam a pessoa errada, que acaba com o jogo deles e os denunciam, neste caso não se espante se eles se fizerem de vítimas e acharem que foram injustiçados, ou tentarem se defender alegando que não estavam fazendo absolutamente nada de errado, e que quem o denunciou é que entendeu tudo errado, já que eles têm um amor escondido em algum lugar da rede, sabe-se lá onde.

Assim como os inúteis das redes de relacionamento que ficam por anos com seus perfis mofados em busca de uma presa ingênua e fácil que caia na conversa mole de que eles sejam homens sérios em busca de um namoro ou relacionamento sério, assim são os paqueradores das redes profissionais, ou seja, completamente sem noção.

A internet revolucionou a comunicação ao redor do mundo colaborando para a aproximação dos povos dos quatro cantos da Terra, principalmente em questões de negócios, porém também tem colaborado muito para o fenômeno da idiotice humana. Onde pessoas sem nenhum tipo de senso não conseguem enxergar que redes profissionais foram criadas exclusivamente com o intuito de realizar comercialização de produtos ou serviços, recolocação profissional e networking, não amor.

Pessoas residentes em países onde há ideologia religiosa que os impede de ter relações afetivas antes do casamento são as piores na falta de semancol, pois o desespero é tão grande que elas não sabem onde podem encontrar um escape, permitindo que façam papel de tolas em busca de relacionamentos afetivos em redes profissionais, ora, sejamos mais inteligentes e menos idiotas, pois o mundo já está cheio de pessoas que perderam a noção do certo ou errado faz tempo.

Lugar de paquera não é nas redes profissionais, o ideal é fazer uma boa reflexão do certo ou errado e começar olhar além da internet, quem sabe olhando para os lados o grande amor que tanto busca não esteja por lá?

Quem vive muito no mundo virtual deixa de ver e conhecer pessoas interessantes na vida real, já é sabido que muitas pessoas que vivem a caça de amores nas redes virtuais em geral possuem sérios problemas de comunicação, comportamento e sexo. Portanto, fujam de pessoas que não irão acrescentar nada na vida, pois não há nada melhor do que amores reais que somam e multiplicam!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Paquerar na rede profissional? Não pode! de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


E viva os ababelados...


Marisa Fonseca Diniz



Sabe aquela pessoa que você acha que tem tudo para ser diferente, mas que, bem, na verdade não é o que parece, sim existe aos montes por aí e causam muitos danos, porém mais para eles mesmos do que aos outros. Os seres ababelados são exclusivos, sim, únicos, conseguem fazer coisas e ter atitudes que apenas eles  conseguem entender.

O cérebro dos ababelados é um emaranhado de neurônios que  dão choque um nos outros, eles nunca sabem o que devem fazer ou como fazer, sofrem constantemente de amnésia e problemas de visão. Com certeza todo mundo tem um ser ababelado como amigo ou parente. Algumas situações nos quais os ababelados provocam podem despertar risos em qualquer pessoa, porque inocentemente muitos não percebem que seu jeito de ser diverte os demais.

O ababelado tem como costume se colocar em situações às vezes até constrangedoras, outras nem tanto, mas coincidentemente ou não todos tem o costume de não saber onde colocam seus projetos, sapatos, óculos, chaves, carteira, agenda, celular, roupas, ou seja, tudo tem o poder de se esconder e não avisá-los.

Todo mundo em algum momento da vida já ficou ababelado, porém quando as atitudes são constantes é melhor buscar ajuda médica porque com certeza alguma coisa não está normal. Falta de concentração nas atividades diárias sinalizam que o corpo está passando por momentos de estresse, tensão ou depressão.

Ababelado para quem ficou em dúvida é aquela pessoa que faz as coisas de forma confusa, ou seja, é o ser atrapalhado nosso de cada dia. Qualquer coincidência é mera semelhança!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.