Passeios exóticos em Paris


Paris, a cidade luz as margens do rio Sena é a cidade mais populosa da França e a mais visitada pelos apaixonados por arte. Engana-se quem pensa que Paris só possui a Torre Eiffel, o Champs Élyssées ou o Museu do Louvre para ser visitado. Há alguns lugares inusitados nesta cidade que valem a pena conhecer, principalmente por aquelas pessoas que gostam de passeios exóticos.

Que tal visitar o Cemitério Père-Lachaise? Pode parecer um passeio um tanto macabro, mas vale a pena caminhar pelos corredores arborizados e seus maravilhosos jardins para visitar os túmulos de Jim Morrisson, Oscar Wilde, Moliêre e Edith Piaf que atraem anualmente milhares de visitantes do mundo todo.



Se preferir algo mais doce poderá se deliciar com a variedade de chocolates do bairro de Saint Germain que possui tours temáticos que vão desde aulas de culinária na casa de franceses passando por aulas de francês em um café  até o passeio gourmet no Quartier Latin.


Aquelas pessoas que preferem mesmo viver de passado e que não perdem a oportunidade de comprar alguma relíquia podem gostar do passeio aos antiquários no Bairro do Saint Ouen. As ruas do bairro são estreitas e cheias de becos onde em cada canto é possível achar uma relíquia dos séculos passados.


Não há nada mais relaxante do que aproveitar um banho turco em Paris, a Grande Mesquita de Paris datada de 1920 é um edifício com uma bela arquitetura inspirada na Allambra de Granada na Espanha, que oferece estes banhos em suas saunas, onde pode se livrar de todas as impurezas.


Já escolheu o seu próximo passeio por Paris?

O glamour das antigas xícaras de café


Quem não gosta de saborear um delicioso café ou chá em uma xícara decorada? A porcelana é uma variedade de cerâmica dura e resistente, branca,  que é preparada a partir da mistura de caulim, feldspato e quartzo.

A porcelana surgiu na China na época “Tang” que teve a sua produção refinada com o afinamento da massa, elegância de formas e a introdução de novos vernizes. Por volta do século XVI, a porcelana obteve grande desenvolvimento na Coréia e no Japão.

As primeiras xícaras decoradas surgiram na Europa no século XVII em substituição as xícaras de prata. O café, o chocolate e o chá na época eram muito caros e apenas a burguesia tinha acesso a estas bebidas. As xícaras de prata eram inviáveis de serem manuseadas porque o líquido quente as deixavam quentes e a burguesia acabava queimando os dedos, sendo assim em 1750 o arquiteto inglês Robert Adam sugeriu ao seu amigo ceramista que colocasse nas tigelas de porcelana alças.