O burro sábio


Monteiro Lobato




No tempo em que os animais falavam, uma assembleia de bichos se reuniu para resolver certa questão.

Compareceu, sem ser convidado, o burro, e pedindo a palavra pronunciou longo discurso, fingindo-se estadista. Mas só disse asneiras. Foi um zurrar sem conta.

Quando concluiu, ficou à espera dos aplausos; mas o elefante, espichando a tromba para o seu lado, disse:

- Grande pedaço de asno! Roubaste o tempo, a nós e a ti. A nós, porque o perdemos a ouvir asneiras; e a ti, porque muito mais lucrarias se o empregasses em pastar. Toma lá este conselho:

UM TOLO NUNCA É MAIS TOLO DO QUE QUANDO SE METE A SÁBIO.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário